Unigran Capital

EAD e mercado de trabalho: como é a relação?

Uma dúvida que muitos estudantes têm na hora de escolher a modalidade da faculdade é sobre a inserção dos profissionais com diploma EAD no mercado de trabalho. Será que essa formação é valorizada? Os graduados na educação a distância têm o mesmo diferencial competitivo que os diplomados no modelo presencial?

Fique tranquilo, porque trazemos boas notícias: de acordo com os empregadores, os cursos EAD são tão aceitos quanto os presenciais. Não há diferenças nem no valor do diploma, nem na qualificação geral do profissional. O que conta é a comprovação das competências técnicas e comportamentais.

Mas se você ainda está inseguro sobre a relação entre EAD e mercado de trabalho, acompanhe este post e reveja seus conceitos!

O aumento da procura pelos cursos a distância

Com a alta quantidade de pessoas graduadas, o mercado está cada vez mais exigente e seletivo. Quem ainda não buscou por uma formação superior deve se apressar porque um diploma de graduação já é um requisito básico para conquistar boas vagas.

As pessoas já estão conscientes de que existe a necessidade de se qualificar e estão em busca dessa realização. Nesse sentido, a educação a distância abriu portas e mostrou novas possibilidades para quem não tinha condições de frequentar uma faculdade presencial, principalmente em razão da falta de tempo.

Grande parte dos alunos EAD já tem uma rotina profissional e precisa de flexibilidade para conciliar estudos e trabalho. Além disso, em um curso a distância, o estudante tem menos custos, tanto na mensalidade quanto em relação aos gastos com transporte, alimentação e material.

Diante de todas essas vantagens, o número de estudantes que optam pela educação online é cada vez maior. Prova disso é que no ano de 2004, os cursos a distância contavam com 60 mil alunos. Esse número teve um aumento bastante expressivo nos anos seguintes, chegando à marca de 1,5 milhão de brasileiros matriculados na modalidade EAD em 2016.

Mas como funciona a educação a distância? A maior parte dos cursos é no formato online, ou seja, as aulas e os conteúdos são apresentados em plataformas virtuais. O aluno pode acessar o material e estudar no local e na hora que puder, de acordo com sua disponibilidade.

Hoje, os recursos digitais otimizam o estudo a distância. As plataformas de ensino são modernas e interativas, os tutores são especializados, e o aluno recebe o conteúdo em textos, exercícios, videoaulas, aulas em tempo real e demais recursos pedagógicos que facilitam o aprendizado. A interação com os professores, monitores e com outros estudantes é feita por meio de chats, e-mail ou outras formas de comunicação online.

O que mais atrai os futuros profissionais para essa modalidade, além da flexibilidade e da acessibilidade, é o reconhecimento dos cursos e a validade do diploma EAD, que é idêntica à de uma faculdade presencial. O mercado também enxerga e valoriza essa qualificação e coloca os graduados nos dois formatos com a mesma vantagem competitiva.

O aluno EAD no mercado de trabalho

O bom da faculdade a distância é que o aluno não precisa se dedicar tanto quanto nas aulas presenciais, certo? Esse é um completo engano! Para estudar sozinho, é preciso ter o dobro de comprometimento e interesse pelos estudos, justamente porque o aprendizado depende muito mais do próprio estudante do que dos professores.

Para ter um bom rendimento nessa modalidade, você deve desenvolver certas habilidades que compõem um perfil profissional muito bem visto pelo mercado de trabalho. Veja, a seguir, algumas das principais características do aluno EAD!

Organização e gestão do tempo

Ao estudar a distância, é você quem determina o ritmo de seus estudos. Por isso, é indispensável organizar a rotina e fazer uma boa gestão do tempo. Você deve saber administrar os diversos compromissos diários — atividades do trabalho, da faculdade e da vida pessoal — e respeitar o período dedicado às tarefas acadêmicas.

Até porque, em um curso a distância, o cumprimento de prazo na entrega dos trabalhos é determinante para as notas do aluno, já que sua presença em aula também é avaliada por meio das atividades realizadas em casa.

Em qualquer lugar e na hora que quiser, o estudante pode acessar os conteúdos de aula — textos, vídeos etc. O ponto crítico é que a liberdade vem junto com responsabilidade. Quem não aprende a ser organizado corre um sério risco de ter baixo aproveitamento nos estudos.

Por outro lado, as empresas reconhecem que a pessoa que se compromete com os estudos e gerencia sua própria rotina tende a apresentar essa organização no ambiente de trabalho.

Proatividade

Estudar sozinho exige que o aluno tenha a habilidade de tomar iniciativa, procurar diferentes respostas e solucionar problemas com o mínimo de auxílio possível. Por exemplo, o estudante EAD precisa ser proativo para ampliar seu aprendizado e buscar múltiplas fontes de informação, além do conteúdo disponibilizado na plataforma de ensino.

Isso é proatividade — a capacidade de se antecipar e encontrar alternativas diante de situações complexas! E essa é uma das competências mais valorizadas no cenário profissional.

Autodidatismo

Por mais que na modalidade EAD o aluno tenha o suporte dos monitores e professores, há momentos em que ele vai precisar de autonomia para acelerar o seu aprendizado. Diante das dúvidas e da necessidade de construir o seu aparato teórico, o estudante passa a ser autodidata e desenvolve a capacidade de aprender por conta própria.

Além de assimilar o conteúdo, você também vai precisar de uma boa dose de automotivação. Tudo isso contribui para um perfil acadêmico e profissional produtivo, já que existe o interesse real por suas atividades, o que leva à busca por resultados e por aperfeiçoamento.

Disciplina

Comprometimento, foco e concentração são elementos que fazem parte do dia a dia de uma pessoa disciplinada, que se preocupa com as obrigações e leva a sério seus objetivos. A pessoa que tem essas características sabe que o sucesso depende muito mais de seu empenho do que de fatores externos.

Esse tipo de postura, voltada para o cumprimento de tarefas e para o alcance de metas é uma característica que contribui para o crescimento em todas as esferas da vida — acadêmica, profissional e pessoal.

A escolha da instituição certa

Apesar da valorização da formação EAD, é preciso ter muita atenção na hora de escolher a instituição de ensino. O nome da entidade educacional conta muito no diploma, e o mercado também considera esse ponto.

Por isso, é necessário pesquisar e se informar sobre a qualidade da instituição de ensino superior (IES). Leve em conta a conceituação dos cursos e o credenciamento da instituição. Preste atenção nos aspectos que são avaliados pelo MEC, como:

  • qualificação dos professores;
  • infraestrutura e recursos tecnológicos;
  • polos educacionais para apoio presencial;
  • ferramentas e métodos pedagógicos.

Depois de analisar todos esses fatores e encontrar uma instituição de qualidade e reconhecimento, você pode iniciar essa nova etapa sem medo. A relação entre EAD e mercado de trabalho é favorável, e o profissional que recebe essa qualificação está tão apto quanto os outros para disputar as melhores vagas e trilhar uma carreira de sucesso.

Gostou dessas informações? Quer ficar por dentro de outros conteúdos sobre cursos e profissões? É fácil: basta assinar a nossa newsletter e receber as novidades no seu e-mail!

Bitnami