Unigran Capital

arquitetura áreas em que o profissional pode atuar

Arquitetura: 14 áreas em que o profissional pode atuar

Chegou o dia do resultado da orientação vocacional e deu Arquitetura. Ou então, depois de alguns textos e informações, você chegou à conclusão que esse é o seu curso. Mas aí bateu aquele medo: “será que vou ser feliz fazendo projetos de construções minha vida inteira?”

E quem foi o desinformado que contou para você que essa é a única atividade que o arquiteto pode desempenhar? Há uma infinidade de opções nessa área, e vamos apresentar algumas delas neste post!

De acordo com o professor Osvaldo Abrão, do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unigran Capital, “as áreas de atuação são vastíssimas. Ocorre que os profissionais têm se dedicado a um campo muito pequeno de atividades e ficam restritos à área de projetos. Essa é apenas uma das quase 300 possibilidades que temos”.

As alternativas abrangem os mais diferentes campos de atuação, agradando a todos os gostos — dos que amam a natureza aos ligados nas novas tecnologias. Para começar a abrir seus horizontes, separamos 14 campos de trabalho que podem ser desenvolvidos pelo arquiteto. Alguns mais tradicionais, outros inusitados. Confira!

1. Paisagismo

Nesse campo de atuação, o profissional vai lidar com a criação de ambientes externos, sejam eles urbanos ou rurais, para lazer, descanso ou trabalho. Então, não se restrinja à ideia de que o paisagista só faz praças e jardins!

Ele pode projetar áreas de agricultura, como uma horta urbana comunitária, um sistema de drenagem fluvial ou ainda ser o responsável pela restauração de um parque de preservação ambiental.

2. Urbanismo

Quem é apaixonado pela vida na cidade pode encontrar no urbanismo uma boa opção de atuação. Assim como o paisagista, o arquiteto urbanista trabalha com o propósito de melhorar a qualidade de vida das pessoas que habitam uma determinada região. Essa área trata não somente de planejar o espaço público em si, mas também de mobilidade, saneamento básico e sustentabilidade.

As mudanças constantes no ambiente urbano — demográficas e econômicas — proporcionam altas demandas a esse campo de trabalho. Os projetos incluem bairros, cidades e grandes áreas livres que vão, futuramente, abrigar empreendimentos maiores.

Quem se especializa nessa área da Arquitetura ainda encontra muitas oportunidades em concursos públicos. Portanto, é um caminho promissor para o arquiteto, mas que também requer muita responsabilidade, já que exige planejamento em grande escala.

3. Luminotécnica

A luz é capaz de mudar a percepção de qualquer espaço. Um mesmo projeto construído em lugares diferentes pode criar sensações distintas somente pela forma como a luz é captada. O arquiteto que se qualifica em luminotécnica, ou luminotecnia, pode tornar ambientes de trabalho mais agradáveis, ampliar pequenos espaços, ou ainda compor a identidade de um evento especial.

Esse também é um ramo importante da Arquitetura, considerando que a iluminação apropriada tem o efeito de transformar o espaço e dar outro peso ao projeto. Afinal, dedicar atenção a esse detalhe significa oferecer mais bem-estar às pessoas e qualidade às experiências que se passam no ambiente em questão.

Toque de sofisticação, ou de simplicidade e aconchego, assim como valorização dos móveis e enfoque em detalhes do projeto arquitetônico são alguns dos pontos positivos de saber trabalhar bem com luminotécnica.

4. Comunicação visual

A função do arquiteto que se especializa nessa área é estabelecer uma identidade visual de acordo com a intenção do projeto, que pode ser, por exemplo, de uma empresa que queira transmitir maior confiança — o que vai se traduzir nas cores, mobiliário, espaço e logomarca.

O projeto também pode ser uma produção cinematográfica de época, na qual o profissional será o responsável pela pesquisa, definição de estilos e escolha de locações. Outra atividade do arquiteto na área de comunicação visual é a fiscalização de estrutura de placas e poluição visual das cidades.

5. Cenografia

Como já dissemos, existe espaço para o trabalho do arquiteto no cinema. Mas também há oportunidade na televisão, no teatro e até em eventos. A cenografia é uma área em crescimento!

Seja num programa de TV ou em um desfile, quem trabalha nesse campo deve pensar no espaço a ser construído, harmonizando a informação que o cliente quer transmitir ao orçamento disponível para o projeto.

6. Design gráfico de animação

Nem só de construções reais vive o arquiteto, mas de toda projeção virtual do nosso mundo! Com a evolução das animações gráficas, seja para publicidade, cinema, ou games, quem sabe aliar conhecimentos arquitetônicos, urbanos e paisagísticos à programação tem tido cada vez mais espaço nesse mercado de trabalho.

O profissional especialista nessa área também pode ajudar no desenvolvimento de softwares que vão atender a outros colegas do ramo na elaboração e apresentação de projetos.

7. Design industrial

Existe uma infinidade de produtos que vão muito além de construções de alvenaria. Nesse ramo, as opções são vastas: design de embalagens, produtos, brinquedos etc.

O projeto ganha escala de produção industrial e, por isso, precisa ser pensado para ter seus custos minimizados em sua confecção. Mas sem perder a autenticidade e a identidade, que são características primordiais para impactar o consumidor final. Trata-se de um desafio instigante para quem tem a criatividade como parceira de trabalho!

8. Design de mobiliário

Há um campo específico no ramo de design de produtos que merece destaque: o design de móveis. Como as escalas são reduzidas e o céu é o limite na utilização de materiais, o profissional garante a oportunidade de soltar a imaginação e, com isso, divulgar o seu estilo de trabalho.

Basta uma pesquisa rápida para descobrir mesas, cadeiras e outros utensílios assinados por grandes arquitetos. Alguns desses projetos chegam a ganhar status de obras de arte!

9. Arquitetura extrema

Com as mudanças climáticas e o aumento da incidência de fenômenos naturais, como furacões, enchentes, tsunamis entre outros, a Arquitetura extrema tem ganhado notoriedade.

A proposta dessa área é encontrar soluções para sobreviver a ambientes inóspitos com segurança, sem abrir mão do conforto. Pode parecer um pouco ficção científica agora, mas essa área pode se tornar primordial para nossa sobrevivência futura.

10. Arquitetura sustentável

Há uma outra via mais otimista que acredita em soluções verdes para preservação do planeta. A Arquitetura sustentável trabalha com possibilidades que permitam uma convivência mais inteligente com a natureza.

O foco dessa área é economizar recursos naturais de diferentes formas — desde a valorização da iluminação natural a sistemas de reúso inteligente de água e utilização de materiais recicláveis. É a criatividade a favor de um mundo melhor. As pessoas economizam, e o planeta agradece!

11. Restauração

A Arquitetura também ajuda a contar a nossa história! Porém, devido à sua funcionalidade como ponto de passagem, trabalho ou moradia, suas características originais podem se perder ao longo do tempo, assim como sucessivas reformas que descaracterizam o projeto original.

O papel do restaurador, portanto, é reencontrar a beleza e a funcionalidade para construções, preservando sua função para a sociedade. Esse ainda é um trabalho que divide opiniões, já que alguns discordam dos projetos de restauração e vejam isso como um desrespeito ao patrimônio histórico. Entretanto, são intervenções necessárias para que os edifícios permaneçam estruturados e sem riscos de desabamento.

Além da restauração que visa apenas fortalecer a estrutura e preservar a estética original, também é possível conservar alguns aspectos do antigo projeto para transformá-lo em algo novo.

12. Pesquisa e docência

Há quem vá para o mercado de trabalho, mas se apaixona pela pesquisa! É possível conciliar esses campos de atuação ou ainda integrar grupos de pesquisa em universidades e outros institutos. Ao optar por se tornar professor, o profissional, além de ensinar, também tem a possibilidade de estar mais em contato com as tendências e avanços além de poder se aprofundar em determinados temas.

13. Arquitetura política

A Arquitetura política está associada ao urbanismo. O arquiteto, nesse campo de trabalho, busca criar meios para que a expansão urbana aconteça, de modo a favorecer a sociedade. Trata-se de atuar no planejamento e na organização física de uma região. Comumente, essas ações estão atreladas a projetos políticos.

A política e a Arquitetura estão relacionadas de muitas formas. Um meio influencia o outro e seguem lado a lado, elaborando critérios para a organização da sociedade e para a evolução urbana. Afinal, o comportamento social em seu todo — a forma como as pessoas se organizam e interagem com o ambiente — são pontos essenciais na visão de um bom representante da população.

14. Coordenação e acompanhamento de obras

Nessa área da Arquitetura, o profissional tem a missão de transformar um projeto em realidade concreta. Assim como o engenheiro civil, é o arquiteto que acompanha de perto e coordena suas obras, cuidando para que todas as etapas sejam concluídas com a qualidade prevista em seu planejamento. Da mesma forma, o administrador da obra deve zelar pela segurança dos trabalhadores durante todo o processo de construção.

É comum que profissionais dessa área também tenham especialização em BIM (Building Information Modeling). A partir desse conhecimento técnico, o arquiteto consegue ter uma visão mais aproximada do resultado final e fazer as alterações necessárias a qualquer momento ao longo da execução da obra — além de ser um meio eficiente para se relacionar com todos os demais envolvidos no trabalho.

A lista de áreas da Arquitetura que apresentamos aqui, obviamente, é incompleta. Como disse o professor Osvaldo Abrão, as possibilidades de atuação nessa profissão são vastas. A medida está na capacidade criativa do profissional que pode, inclusive, desenvolver trabalhos em diferentes ramos ou reunir todas as suas habilidades em um único projeto.

Gostou de saber um pouco mais sobre as diferentes áreas da Arquitetura? Assim como você, outras pessoas também gostariam de ter acesso a essas informações para esclarecer suas dúvidas. Então, ajude a divulgar conhecimento e compartilhe este post nas suas redes sociais!

Bitnami