Unigran Capital

Atleta da Unigran Capital participa dos Jogos Mundiais Para Transplantados

O atleta e acadêmico do curso de Biomedicina do Centro Universitário Unigran Capital, Carlos Alberto Rezende, mais conhecido como Professor Carlão, 55 anos, participou dos Jogos Mundiais para Transplantados em Newcastle, na Inglaterra. O evento, uma espécie de Olimpíada, foi realizado entre os dias 17 e 23 de agosto e contou com a participação de mais de 2,3 mil atletas representando mais de 60 países.

O professor Carlão, que recebeu um transplante de medula há dois anos e dez meses, integrou o Time Brasil para Atletas Transplantados – que é vinculado à Associação Brasileira de Transplantados (ABTx). Além dele, outros 19 atletas transplantados e três doadores representaram o Brasil. O atleta voltou para Campo Grande e trouxe à Unigran Capital a medalha que ganhou na modalidade em que competiu: o atletismo. Ele foi o nono mais rápido da categoria em que participou.

Neste ano, foi realizada a 22ª edição dos jogos e a primeira vez que o professor Carlão participou.

“É muito significativo participar desses jogos, pois são de nível extremamente competitivo e visa celebrar a vida. Participam transplantados e doadores, mas transplantados competem com transplantados e doadores competem com doadores. Foi a maior delegação do Brasil em Jogos Mundiais. Trouxe a medalha para a Unigran por tudo que ela me proporciona. É como uma extensão da minha casa, da minha família. Está me possibilitando recomeçar.”, explica Carlão.

O professor destaca que cada atleta que participa dos Jogos Mundiais também leva para o seu país e para a sua comunidade a importância de ser um doador.

“Participar foi indescritível. São 2,3 mil atletas medalhistas de ouro, porque todo mundo ali está tendo uma segunda chance e está sabendo aproveitar de forma intensa. Não apenas aproveitar de forma individual, mas também levar essa causa para a sua cidade, seu país, divulgando a importância do gesto de doação de sangue, de doação de medula óssea e da doação de órgãos. Sobretudo, porque em setembro, é o mês do doador de órgãos, temos a campanha Setembro Verde”, afirma o Carlão.

(Na foto, o professor Carlão, o pró-reitor de Ensino e Extensão, Vinícius Soares de Oliveira, e a diretora- financeiro da Unigran Capital, Laura Ximenes)

Instituto Sangue Bom

Professor de Biologia há mais de 20 anos, Carlão é acadêmico do oitavo semestre de Biomedicina na Unigran Capital. O Projeto Sangue Bom nasceu em 2015, quando ele foi diagnosticado com aplasia medular.

Diante de sua luta pela vida, abraçou a causa e viu como missão conscientizar e mobilizar a sociedade no engajamento das causas relacionadas à doação de vida.

O Instituto Sangue Bom nasceu com o objetivo levar projetos de conscientização para mobilizar a sociedade e promover o engajamento nas causas relacionadas à doação de vida. São promovidas palestras gratuitas e campanhas na área de saúde, cultura e esporte.

Bitnami