Unigran Capital

Dia da Luta Antimanicomial será marcado por teatro na Unigran Capital

O dia da Luta Antimanicomial, 18 de maio, será marcado por teatro na Unigran Capital. Na sexta-feira, 17, alunos do curso de Psicologia apresentarão peça inspirada na vida da médica psiquiátrica Nise da Silveira (1905 – 1999). A apresentação será no ginásio da Unigran Capital, às 8 horas e será aberta aos acadêmicos e à comunidade externa.

Para os inscritos haverá certificado. Faça a sua inscrição!

Como o assunto envolve a área da saúde e psicologia, os alunos dos cursos de Psicologia, Radiologia, Enfermagem e Estética serão liberados para acompanhar a apresentação.

De acordo com a coordenadora do curso de Radiologia da Unigran Capital, Débora Teixeira da Cruz, a ideia surgiu na aula de Filosofia e Ética. Os acadêmicos assistiram ao filme: O Coração da Loucura e, a partir dele, criaram o roteiro da peça seguindo a linha teórica de Carl Jung.

“A peça está dirigida para Psicologia, mas, quando se fala em saúde mental, todos profissionais da saúde estão envolvidos. A Psicologia trabalha visando a questão dos Direitos Humanos e a dignidade da pessoa. Os psicólogos trabalham com esse paciente – ou cliente, como chamamos – evidenciando o que ele tem de melhor. Porque atrás da sua loucura, ele tem a sua essência e essa essência que é importante para o desenvolvimento do ser humano”, diz a coordenadora.

Nise combateu modelos psiquiátricos controversos como a eletroconvulsoterapia, as psicocirurgias e o coma insulínico. Ela passou boa parte de sua vida tentando modificar o tratamento de pessoas com distúrbios mentais e, em 1946, inaugurou a Seção de Terapêutica Ocupacional, no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II (atual Instituto Municipal Nise da Silveira).

O inovador tratamento psiquiátrico substitui eletrochoques e lobotomia por atividades musicais e práticas artísticas, desenvolvidas em ambiente acolhedor. O método também será lembrado na peça teatral dos alunos da Unigran Capital.

“Vamos apresentar que eles [pacientes] podem fazer pintura, artesanato mesmo tendo diagnóstico de esquizofrenia, por exemplo. Isso vai depender dos trabalhos a desenvolver com as pessoas. Sem ficar taxando como loucas e prendendo essas pessoas, sem explorar o que eles têm de melhor”, afirma Débora.

Movimento da Luta Antimanicomial

O Movimento da Reforma Psiquiátrica se iniciou no final da década de 70 e combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, ideia baseada nos preconceitos que cercam a doença mental.

O Dia da Luta Antimanicomial foi estabelecido em 1987 na cidade de Bauru, durante o Congresso de Trabalhadores de Serviços de Saúde Mental e deu visibilidade ao Movimento da Luta Antimanicomial, adotando o lema “Por uma sociedade sem manicômios”.

A partir desse lema, diversos segmentos da sociedade questionam o modelo clássico de assistência baseado em internações em hospitais psiquiátricos, denunciam as violações aos direitos das pessoas com transtornos mentais.

O objetivo da Luta Antimanicomial é a reorganização do modelo de atenção em saúde mental no Brasil com a garantia da cidadania de usuários e familiares, historicamente discriminados e excluídos da sociedade.

Serviço

Dia da Luta Antimanicomial na Unigran Capital

Data: Sexta-feira, 17 de maio

Local: Ginásio da Unigran Capital – Rua Abrão Júlio Rahe, 325 – Centro

Horário: 8 horas

Bitnami