Unigran Capital

Conheça 6 carreiras jurídicas inusitadas que são tendência

Ao pensar nas áreas do Direito, certamente vêm à sua mente aquelas carreiras jurídicas tradicionais, popularmente retratadas em novelas e filmes, ou mesmo por meio de notícias da área política e criminal.

De fato, carreiras como a de um juiz, promotor de justiça ou advogado de pessoas físicas e jurídicas têm muito prestígio, apresentam bons salários e são amplamente necessárias na sociedade. Contudo, existem outras carreiras jurídicas que são tendência no mercado de trabalho atual, mas um tanto pitorescas.

E, para que você abra sua mente para diferentes possibilidades de atuação no Direito, este post vai explicar 6 dessas carreiras jurídicas que fogem ao nosso imaginário. Venha com a gente nessa leitura!

1. Advogado especialista em fusões e aquisições

A área de Fusões & Aquisições é um dos ramos do direito societário. Também conhecida como M&A (Mergers & Acquisitions, em inglês), acompanha a realização de negócios envolvendo duas ou mais sociedades comerciais.

A fusão é uma operação com o intuito de duas ou mais organizações se unirem para se tornar uma única corporação. Já a aquisição consiste na compra de uma organização por outra entidade comercial.

Como todo esse trâmite é cheio de detalhes, envolve não apenas a estrutura física, como também marcas, produtos, colaboradores, órgãos de controle etc., a atuação do advogado começa muito antes da produção dos contratos.

É preciso compreender o funcionamento do negócio, realizar auditorias, entender quais são os desafios e problemas a serem enfrentados, de maneira que a operação seja concluída com sucesso.

Normalmente, trabalha-se em conjunto com advogados especialistas, mas é preciso ter uma noção dos diferentes negócios, uma vez que fusões e aquisições acontecem em qualquer área.

2. Advogado de compliance

A atividade de compliance (termo em inglês que significa algo como “agir de acordo com uma regra”) consiste em garantir que uma empresa esteja atuando em conformidade com as leis (decretos municipais, estaduais ou federais) e normas internas da organização.

As empresas que vêm investindo em programas de compliance se preocupam em obter êxito com sua estrutura administrativa, evitando riscos que possam prejudicar seu valor de mercado, imagem, confiabilidade dos acionistas, prospecção de novos investidores, entre outros.

O advogado de compliance será responsável por atuar em atividades relacionadas à implementação de códigos de conduta e ética, gerenciamento de riscos, prevenção de fraudes e corrupção, gestão de custos operacionais, bem como determinar a responsabilidade jurídica de cada gestor ou colaborador dentro da organização.

Além disso, o advogado de compliance deverá conhecer o negócio e estar próximo aos clientes e contribuir com informações que auxiliem a tomada de decisão. Por isso, pode-se dizer que o advogado de compliance é uma das carreiras jurídicas voltadas a criar um tipo de estabilidade para o negócio, agindo como um facilitador de oportunidades.

3. Advogado especialista em recuperação judicial

Com a crise econômica brasileira, muitas empresas se viram em maus lençóis. Perderam clientes, viram seus produtos e serviços ficarem obsoletos e acumularam dívidas. Para evitar a falência e tentar se reerguer, precisam recorrer à recuperação judicial.

Esse processo, que pode demorar alguns meses, precisa de um advogado especialista que servirá de mediador entre os gestores da organização em questão, credores e a própria Justiça.

O objetivo da atuação desse profissional será auxiliar na implementação de um plano de superação da crise financeira pela qual a empresa está passando, como é abordado na Lei de Falências e Recuperação de Empresas.

Uma vez formulado, esse plano será analisado por um juiz, que deverá aprová-lo e estipular um prazo para ser efetuado. Enquanto o plano estiver vigente, a empresa continua funcionando normalmente, ou seja, tanto a produção quanto os empregos permanecem garantidos.

4. Advogado de direito da mineração

A mineração é uma das áreas econômicas de maior exploração no Brasil. As condições para essa atividade estão previstas no artigo 176 da Constituição Federal, e o papel do advogado de direito da mineração é garantir que elas sejam cumpridas.

Entre as principais atividades do profissional estão promover a regulação das normas entre minerador e Estado; entre minerador e o proprietário do local onde se encontra a jazida; entre mineradores que fazem negócios de compra e venda de títulos minerários; entre mineradores e investidores.

Na prática, esse profissional dialogará juridicamente com construtoras, donos de terrenos, bancos, acionistas, consumidores, comunidades tradicionais de mineração, de maneira a encontrar a sustentabilidade dessa indústria.

Com isso, o advogado deverá atuar em diferentes frentes, que envolvem tanto os interesses do setor privado, público, terceiro setor e até organizações internacionais — como o Banco Mundial e o Conselho Internacional de Mineração (ICMM).

5. Gestor de governança corporativa

O objetivo da governança corporativa é estabelecer um conjunto de práticas que incrementem a gestão empresarial para atender da melhor forma possível os objetivos e interesses de todos os públicos da empresa. Como resultado, ampliar o valor econômico da organização, possibilitar mais acesso a recursos e garantir sua existência e atuação plena no mercado.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), “Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”.

Para que aconteça esse alinhamento de interesses, é necessário um advogado especialista que conheça o negócio a fundo e estruture toda a parte jurídica das operações. Mais que um conselheiro ou consultor, ele pode atuar como gestor de todo esse processo, articulando com as partes envolvidas.

6. Advogado de arbitragem

Não se trata de ser o advogado de árbitros de futebol! Essa carreira jurídica atua em situações em que as partes preferem resolver suas questões conflitantes fora do Poder Judiciário, que tende a ser moroso, cheio de burocracias e com custos altos.

Para que funcione, quem julgará o conflito será um árbitro. Em tese, qualquer pessoa pode assumir esse papel, desde que seja imparcial, e ambos os envolvidos precisam estar de acordo.

Mas, apesar de ser uma tratativa informal, a presença de um advogado é indispensável, afinal de contas existe ali a administração da justiça, conforme prevê o artigo 133 da Constituição Federal.

Assim, o profissional que se especializa na advocacia de arbitragem atuará como um conselheiro, orientando as partes sobre como resolver a questão conflitante sem necessidade de recorrer à justiça formal.

Em certos casos, são criadas câmaras de arbitragem que contam com um diretor jurídico que orienta os árbitros sobre quais são as decisões mais acertadas para cada caso.

Uma vez dada a sentença, os advogados podem acompanhar as partes com o intuito de observar se a sentença estabelecida está sendo cumprida.

E aí, gostou de conhecer essas carreiras jurídicas? Cada vez mais o Direito está evoluindo e novas áreas de atuação vêm sendo abertas para suprir as demandas do mercado. Se você está pensando que cursar Direito pode ser a faculdade ideal, abrace a ideia de uma vez e não perca tempo.

Nós da Unigran Capital podemos ajudar você. Entre em contato conosco e saiba como funciona a faculdade de Direito!

 

Bitnami