Unigran Capital

Financiamento estudantil: conheça os tipos e veja como conseguir

Se você sonha em ter uma carreira de sucesso, com altos salários e realização profissional, é essencial investir na sua educação. É durante a faculdade que você dará os primeiros passos para realizar esse sonho e abrirá as portas para oportunidades únicas no futuro.

Nos dias de hoje, o diploma de nível superior se tornou praticamente uma exigência no mercado de trabalho, mas o problema é que nem todos os estudantes possuem condições de arcar com os custos de uma faculdade. É justamente por isso que existem diversos programas de financiamento estudantil, bolsas e descontos que facilitam o acesso à educação.

Se você ainda não sabe como funcionam esses programas, basta continuar lendo o post de hoje. A seguir, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto e ainda indicaremos algumas sugestões de como conseguir descontos na faculdade. Confira!

O que é financiamento estudantil?

O financiamento estudantil funciona basicamente como um empréstimo, no qual os custos da faculdade são pagos pelo governo ou por uma instituição financeira de forma integral ou parcial. Posteriormente, o estudante devolverá esse valor de forma parcelada, acrescida de juros e correção.

Existem diversas formas de conseguir um financiamento, seja por meio de programas do governo, da própria faculdade, ou até mesmo pelo intermédio de um banco. Porém, é preciso deixar claro que essa não é a única forma de aliviar despesas com o curso superior ou com uma pós-graduação.

Existem, ainda, opções de bolsas e descontos nas quais o estudante consegue abater parte da mensalidade do curso sem precisar devolver esse valor posteriormente. Assim como os financiamentos, esses descontos podem ser obtidos por meio do governo ou da própria instituição de ensino.

Quais são os principais programas do governo?

Atualmente, o Fies e o ProUni são os dois programas públicos mais disputados por estudantes. O primeiro se trata de um financiamento estudantil propriamente dito. Já o segundo concede bolsas parciais ou integrais para estudantes de baixa renda. A seguir, vamos explicar mais detalhadamente cada um deles.

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foi criado pelo MEC para beneficiar alunos de baixa renda que desejam ingressar em faculdades particulares. A sua maior vantagem está na falta de juros para quem tem renda de até 3 salários mínimos e nas ótimas condições de parcelamento.

Para participar do Fies, o estudante precisa cumprir os seguintes requisitos:

  • ensino médio completo;
  • renda bruta mensal de até 5 salários mínimos por pessoa;
  • nota mínima de 450 de média no ENEM (soma de todas as notas dividida por 5) e
  • nota superior a zero na redação.

O programa não possui um limite de financiamento. Ele é calculado com base no valor do curso e na renda familiar do estudante. Sua distribuição é feita de acordo com o desempenho no ENEM, ou seja, estudantes com notas altas têm mais chances de conseguir o financiamento.

Cumpridos todos os requisitos, basta fazer a inscrição por meio do site do Fies, preenchendo uma ficha cadastral e demais informações solicitadas, como o curso e a instituição do seu interesse. Caso seja aprovado, você receberá um documento que deverá ser levado a um banco do governo para formalizar a contratação do financiamento.

O seu pagamento é dividido em três fases: utilização, carência e amortização.

A primeira ocorre durante o curso, no qual o pagamento total ou parcial das mensalidades é quitado pelo programa e o estudante deverá arcar apenas com os juros (que não podem ultrapassar R$ 150,00 trimestrais).

A segunda fase se inicia logo após a formatura. É composta por um período de 18 meses e mantém as regras da fase de utilização.

Por fim, a amortização ocorre após o período de carência. É nessa fase que ocorre o pagamento do financiamento e dos juros restantes, que poderá ser parcelado em até três vezes a duração do curso.

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) oferece bolsas parciais ou integrais aos estudantes de baixa renda. Não se trata de um financiamento estudantil, pois os valores não precisam ser devolvidos ao governo posteriormente. Ou seja, o estudante pode conseguir descontos de 50% ou 100% na sua mensalidade.

Assim como acontece no Fies, o estudante também precisa cumprir alguns requisitos para participar do ProUni. São eles:

  • ensino médio completo completo em escola pública ou ensino médio completo em escola privada, como bolsista integral da própria escola;
  • não ter diploma de nível superior;
  • renda bruta mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa para a bolsa integral, ou até 3 salários mínimos para a bolsa parcial;
  • nota mínima de 450 nas questões objetivas do ENEM e
  • nota superior a zero na redação.

Para participar do ProUni, basta se inscrever no site do programa. O processo seletivo ocorre duas vezes ao ano, e o estudante deve sempre atualizar seus dados cadastrais, principalmente as notas do ENEM.

Como funciona o financiamento estudantil privado?

Caso você não seja selecionado para um dos programas de incentivo do governo, ainda é possível obter um financiamento por meio de uma instituição financeira privada.

Quase todos os bancos hoje em dia oferecem diferentes opções de financiamento. Alguns deles, inclusive, dispõem de parcerias com faculdades e oferecem condições de pagamento bem atrativas.

Eles funcionam basicamente da mesma forma que o Fies. Porém, os termos do contrato variam de acordo com a instituição financeira e os juros tendem a ser bem mais altos. Por isso, é preciso pesquisar bastante antes de se decidir.

Quais são as vantagens oferecidas pela Unigran Capital?

Caso o estudante não seja selecionado no Fies ou ProUni e não deseje fazer um financiamento privado, a Unigran Capital oferece diversas modalidades de descontos e vantagens que ajudarão a arcar com os custos da faculdade. São eles:

1. Vale Universidade

O Vale Universidade é um programa governamental próprio do Mato Grosso do Sul, cujo objetivo é aumentar o acesso de alunos de baixa renda à educação superior no estado. A Unigran Capital é uma das conveniadas desse programa.

Para participar, os alunos precisam ficar atento ao edital e cumprir os seguintes requisitos:

  • renda individual de até R$ 1.448,00, e renda familiar mensal não superior a R$ 2.896,00;
  • não ter outro diploma de nível superior;
  • ter residência fixa no Mato Grosso do Sul há mais de dois anos.

Além disso, o estudante selecionado deverá fazer um estágio profissionalizante de até 20 horas semanais. Caso seja aprovado no programa, ele terá uma redução de 20% do valor do curso e o governo arcará com mais 70% do custo, totalizando cerca de 90% de desconto.

2. Pró-Unigran

Trata-se de um programa de financiamento estudantil próprio da Unigran Capital, no qual o aluno do curso de graduação presencial arca com apenas 50% dos valores da mensalidade e o restante será pago após a formatura. O prazo para quitar o financiamento será o mesmo da duração do curso.

3. Convênios

Funcionários que trabalham em empresas e entidades vinculadas à Unigran Capital possuem descontos na mensalidade dos cursos caso eles próprios ou seus dependentes decidam se matricular na instituição.

4. Desconto família

Caso dois ou mais membros da mesma família decidam se matricular na Unigran Capital, eles também receberão descontos na mensalidade, desde que a dependência seja comprovada. Para isso, basta efetivar a matrícula e apresentar os documentos que comprovem o vínculo familiar e financeiro.

5. Ex-alunos

Para incentivar o constante investimento na educação, a Unigran Capital oferece descontos de até 50% na mensalidade de alunos egressos — ou seja, aqueles que já concluíram uma graduação ou pós-graduação presencial na instituição e desejam voltar a estudar.

6. Estágio interno

Se o aluno não for beneficiado com nenhum dos descontos ou programas mencionados acima, ele ainda pode se candidatar a um estágio interno na própria Unigran Capital, no qual vai aliar atividades práticas aos conteúdos teóricos adquiridos em sala de aula.

Os estagiários receberão um apoio financeiro sob a forma de descontos na mensalidade. Para obter essa vantagem, é preciso estar efetivamente matriculado na instituição, ter um bom rendimento acadêmico, bom comportamento estudantil e ainda cumprir outros requisitos básicos exigidos pela faculdade.

Como você pode perceber, existem diversas alternativas para estudantes que não possuem condições de arcar com os custos de uma faculdade. Além do financiamento estudantil, é possível obter bolsas e descontos que ajudarão a arcar com esse investimento para o futuro, permitindo que todos tenham acesso à educação e garantam uma carreira promissora!

Se você ainda tem alguma outra dúvida sobre o assunto, deixe um comentário neste post! Teremos prazer em respondê-lo!

Bitnami